???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1563
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorAlves, Jerusa Cariaga-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3131146034467263por
dc.contributor.advisor1Campello, Eduardo Francia Carneiro-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2087563732414383por
dc.contributor.referee1Amâncio, Cristhiane Oliveira da Graça-
dc.contributor.referee2Padovan, Milton Parron-
dc.date.accessioned2017-04-27T13:51:57Z-
dc.date.issued2016-04-26-
dc.identifier.citationAlves, Jerusa Cariaga. Ka’a kuéraha yvakuera oje’úva. Quintais agroflorestais na Reserva Te’Yikuê em Caarapó, Mato Grosso do Sul: segurança alimentar às famílias indígenas. 2016. [55 f.]. Dissertação( PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA ORGÂNICA) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ] .por
dc.identifier.urihttps://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1563-
dc.description.resumoA criação de reservas indígenas no Centro Sul de Mato Grosso pelo Estado Brasileiro, no início do século XX, foi causador de enormes transformações no modo de ser e viver das aldeias tradicionais Guarani e Kaiowá. Delimitando os espaços e cerceando a mobilidade dos grupos indígenas que reconheciam seu o território, tanto pela paisagem natural e como pela sobrenatural, foram impedidos de transitar pelos mais de 100 quilômetros de mata em cada lado da fronteira entre o Brasil e o Paraguai, entendendo apenas como limite os rios Ápa e o Paraná. Atualmente os Guarani e Kaiowá são mais de 65 mil indivíduos que residem em 11 reservas ou estão desaldeados, a eles coube se readequar a nova realidade social espacial e produtiva. Devido as pressões antrópicas dos não indígenas na formação e gerenciamento das reservas e dos próprios indígenas quando obrigados a se deslocar a novas áreas ocorreram intensas modificação nas paisagens culminando em uma vulnerabilidade territorial, social e alimentar. Com isso dando início a graves conflitos pela posse das terras existentes no estado do MS. A perda de território tradicional trouxe uma nova realidade produtiva e também grandes perdas na biodiversidade da fauna e flora sendo a dieta alimentar indígena embasada nesses três eixos, a insegurança alimentar impacta diretamente as unidades familiares. No intuito de caracterizar os SAF da Reserva Te’yikuê foi realizada pesquisa mista, no período de agosto de 2014 a março de 2015 junto as 19 Unidades familiares, utilizando o método "bola de neve" (snowball). O objetivo foi gerar informações sobre os aspectos sociais e produtivos, principalmente no que se refere aos manejos dos sistemas agroflorestais e das culturas de ciclo curto como forma de subsidiar alternativas de desenvolvimento local. Constatou-se que os sistemas agroflorestais biodiversos são do tipo quintais agroflorestais e beneficiam 85 pessoas diretamente, proporcionam expressiva mudança de paisagem. Estes foram, estabelecidos principalmente no entorno das casas para melhorar o microclima, garantindo bem-estar às famílias e as rodas de tereré; possibilitando o policultivo seguindo modos tradicionais de produção, incrementando a dieta alimentar das famílias e a segurança alimentar e nutricional.por
dc.description.abstractThe Indian reserves creation in Mato Grosso by Brazilian Stare in the early twentieth century generated enormous changes in the way of being and living in the Guarani and Kaiowá’s traditional villages. Delimiting spaces and restricting the indigenous groups’ mobility, who recognized its territory by both the natural landscape and mystical and now were unable to pass through the more than 100 kilometers of forest on either side of the border between Brazil and Paraguay, understanding just how limit by the rivers Ápa and Paraná. Currently the Guarani and Kaiowá are over 65,000 people living on 11 reserves or are landless; fit them to readjust the new social space and productive reality. Due to the anthropic pressures of non-indigenous in the formation and management of indigenous reserves and by the Indians themselves when forced to move to new areas led to intense changes in landscapes, culminating in a social, food and territorial vulnerability, beginning a serious conflict over existing land ownership in the MS state. The loss of traditional territory brought a new productive reality and also heavy losses in the fauna and flora biodiversity and the indigenous diet grounded in these three axes the food insecurity impacts directly the family units. In order to characterize the Te'yikuê Reserve Agroforestry Systems (AFS), a mixed research, was conducted from 2014 August to 2015 March with the 19 family units, using the "snowball" method. These in order to generate information on the social and productive aspects, particularly with regard to the AFS management and short cycle crops as a way to support local development alternatives. It was found that the biodiverse AFS are the homegardens type and benefit 85 people directly provide significant change of scenery, especially the established around the houses to restore the microclimates, welfare ensuring families and tereré rounds; enable polyculture following traditional production methods, improving the families diet and food security.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Leticia Schettini (leticia@ufrrj.br) on 2017-04-27T13:51:57Z No. of bitstreams: 1 2016 - Jerusa Cariaga Alves.pdf: 1167706 bytes, checksum: d7904708311a6ecfc0ed1d253d1367d1 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2017-04-27T13:51:57Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016 - Jerusa Cariaga Alves.pdf: 1167706 bytes, checksum: d7904708311a6ecfc0ed1d253d1367d1 (MD5) Previous issue date: 2016-04-26eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttps://tede.ufrrj.br/retrieve/5383/2016%20-%20Jerusa%20Cariaga%20Alves.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal Rural do Rio de Janeiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Agronomiapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFRRJpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Agricultura Orgânicapor
dc.relation.referencesALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaíba: Agropecuária, 2002. 400p AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. M. P. Métodos de Coleta e Análise de Dados em Etnobiologia, Etnoecologia e Disciplinas Correlatas. Rio Claro, SP: SBEE, 2002. ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE REALIZADORES INDÍGENAS. "Jepea`yta - A lenha principal" 2014. https://www.youtube.com/watch?v=mA_R_N-518M. BAILEY, K. Methods of social research. 4. ed. New York: The Free Press, 1994. 588 p BATISTA, T. A. S. A luta por uma escola indígena em Te’yikuê Caarapó, MS. 2005. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2005. BENATTI, L. A. C. O conhecimento tradicional dos Kaiowá e Guarani e o processo de etnodesenvolvimento na reserva indígena de Caarapó, MS. 2004. 91 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) – Universidade Católica Dom Bosco, Mato Grosso do Sul, 2004. BENITES, E. Oguata Pyahu (Uma noca caminhada) no processo de desconstrução e construção da educação escolar indígena da reserva indígena Te’ykuê, 2014. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2014. BERTRAND, G. Paisagem e geografia física global. Revista RA´E GA, n. 8, p. 141- 152, 2004. BRAND, A. J. Os complexos caminhos da luta pela terra entre os Kaiowá e Guarani no MS. Tellus, Campo Grande, v. 3, p. 137-145, 2004. _______. O impacto da perda da terra sobre a tradição kaiowá/guarani: os difícies caminhos da palavra. 1997. 385 f. Tese (Doutorado em História) – Pontífica Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1997. BRASIL. Ministério Público Federal Demarcação: Procurador responsabiliza o Ministério da Justiça por agravamento no conflito fundiário em MS. 2015. Disponível em:<http://www.prms.mpf.mp.br/servicos/sala-de-imprensa/noticias/2015/06/procurador responsabiliza-ministerio-da-justica-por-agravamento-no-conflito-fundiario-em-ms>. Acesso em: 15 out de 2015. BRASIL. Ministério Público do meio ambiente. Instrução Normativa nº 05 de 2009 CARIAGA, D. E. As transformações no modo de ser criança entre os Kaoiwá em Te'yikue (1950-2010). 2012. 215 f. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2012. CARVALHO, P. E.R. Espécie Arbóreas Brasileiras. Brasília: Embrapa informação Tecnológica; Colombo: Embrapa Floresta, 2003. 45 CASTRO, F. G.; KELLISON, J. G.; BOYD, S.; KOPAK , A. A Methodology for conducting integrative mixed methods research and data analyses. Journal of Mixed Methods Research, v. 4, n. 4, p. 342–360, 2010. CHITSONDZO, C. C. E. Quintais caseiros em Machipanda – distrito de Manica, Moçambique. 2011. 93 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Paraná, 2011. COLMAN, R. S.; BRAND, A. J. Considerações sobre Território para os Kaiowá e Guarani. Tellus, ano 8, n. 15, p. 153-174, jul./dez, 2008. COSTA, R. B.; COSTA, R. B.; ROA, R. A. R.; MARTINS, W. J.; SMANIOTTO, C. R.; SKOWROSKI, L.; BENATTI, L. A. C. Os solos da Reserva Indígena de Caarapó, MS: Subsídios para sustentabilidade dos Kaiowá e Guarani. Revista Internacional de Desenvolvimento Local. Campo Grande. n.11, v. 07, p.83 - 94 set. 2005. CARNEIRO, M. G.; CAMURÇA, A. M.; ESMERALDO, G. G. S. L.; SOUSA, N. R. D. Quintais produtivos: contribuição à segurança alimentar e ao desenvolvimento sustentável local na perspectiva da agricultura familiar (O caso do assentamento Alegre, município de Quixeramobim/CE). Revista Brasileira de Agroecologia, v. 8, n. 2, p. 135-147, 2013. CRESPE, A. C. L. Acampamentos e ocupação Kaiowá e Guarani: novas respostas ao processo de perda de seus territórios e ocupação tradicional para as frentes de exploração econômicas na região de Dourados. In: SEMINÁRIO POVOS INDÍGENAS E SUSTENTABILIDADE: SABERES LOCAIS, EDUCAÇÃO E AUTONOMIA, 2011, Campo Grande. Seminário Povos Indígenas e Sustentabilidade: saberes locais, educação e autonomia, 2011. CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 296p. COSTA, R. N. M.; ANDRADE, A. P. de; ARAUJO, K. D. Cobertura vegetal e evolução do uso agrícola do solo da região de Chapadinha - MA. Acta Tecnológica, v. 6, p. 45/1-61, 2011. DELAMÔNICA, P.; LAURANCE, W.F.; LAURANCE, S.G. A Fragmentação da Paisagem. In: OLIVEIRA, A.A.; DALY, D. Florestas do Rio Negro. São Paulo: Companhia das letras, 2010. 344 p. DUBOIS, J. C. L. Manual agroflorestal pa:ra a Amazônia. Rio de Janeiro: Instituto Rede Brasileira Agroflorestal, 1996. 228 p. EMBRAPA. Quintais agroflorestais. 2012. Folder. Disponível em:<http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/75629/1/2012-folder-quintaisagroflorestais- digital.pdf>. Acesso em: 29 ago. 2014. FERREIRA, M. E. V.; MATSUO, T.; SOUSA, R. K. T. Aspectos demográficos e mortalidade de populações indígenas do Estado do Mato Grosso do Sul, Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 27, n. 12, p. 2317-2339. 2011. FERRARO, A.L. A trajetória das taxas de alfabetização no Brasil nas décadas de 1990 e 2000. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 117, p. 989-1013, out.-dez. 2011. 46 FRACCARO, L. C. Z.; MOLINA, S. A percepção ambiental sob a ótica da ecologia humana: o estudo da população rural do município de Ipeúna, SP. In: V ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM AMBIENTE E SOCIEDADE, 2010, Florianópolis. Anais...Florianópolis:Centro de Encontros UFSC, 2010. FREITAS, C. G; ROSA, L. S; MACEDO, R. L. G. Características estruturais e funcionais dos quintais agroflorestais da comunidade Quilombola de Abacatal-Pará. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS, 4, 2004, Curitiba. Anais... Curitiba: Embrapa, 2004. p. 518-520. FUNDAÇÃO NACIONAL DO ÍNDIO - Funai. Diagnóstico Socioambiental. Portaria Funai n. 1567, de 27 de julho de 2012. GOMES, M. A.; PEREIRA, M. L. D. Família em situação de vulnerabilidade social: uma questão de políticas públicas. Ciência & Saúde Coletiva, v. 10, n. 2, p. 357-363, 2005. GRAZEL FILHO, A. B. Composição, Estrutura e Função de Quintais Agroflorestais no Município de Mazagão, Amapá. 2008. 104 f. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias) – Universidade Federal Rural da Amazônia e Embrapa Amazônia Oriental, Belém, 2008. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: Brasil, 2012. _______Tendências demográficas: uma análise dos indígenas com base nos resultados da amostra dos Censos Demográficos 1991 e 2000. 2005. Disponível em:<http://goo.gl/chT7A>. Acesso em: 05 abr. 2015. INSTITUTO DE PESQUISA ECÔNOMICA APLICADA - IPEA. PNAD: mostra aumento da escolaridade média do brasileiro. Disponível em:http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=20012. Acesso em: 22 de out de 2015. JUNIOR, C. J. F. O.; CABREIRA, P. P. Sistemas agroflorestais: potencial econômico da biodiversidade vegetal a partir do conhecimento tradicional ou local. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 7, n. 1, 2012. LARANJEIRA, D. B. S.; MAGALHÃES, T. S. S.; SOUZA, D. A.; SIMAS, K. S.; LARANJEIRA, L. S. Quintais agroflorestais: uma iniciativa de convivência com o semiárido. Revista Enciclopédia Biosfera, v.11, n.20, p. 133- 142, 2015 LEHNER, B. Territorialidad Guarani. Ensayo sobre la relación territorio organización sócio-política de los Ava-Guarani y Pai-Tavyterã. Servicios Profesionales Sócio- Antropológicos y Jurídicos. Paraguai. 2002. Disponível em:<http://guarani.roguata.com/sites/default/files/text/file/uid110/lehner-territorialidadguarani- 2002.pdf >. Acesso em: 5 de marc 2015. LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2009. MARIN, A. M. P.; MENEZES, R. S. C.; SILVA, E. S.; SAMPAIO, E. V. S. B. Efeito da Gliricidia sepium sobre nutrientes do solo, microclima e produtividade de milho em sistemas 47 Agroflorestais no Agreste Paraibano. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 30, n. 3, p. 555- 564, 2006. MARTINEZ, L. F.; FERREIRA, A. I. Análise de dados com SPSS: primeiros passos. Lisboa: Escolar Editora. 2007. 124p. MARTINS, S. V. Recuperação de matas ciliares. 2 ed. Viçosa: Aprenda Fácil Editora, 2007. v. 1. 255p. MELIÁ, B.; GRUNBERG, G.; GRUNBERG, F. Los Pai-Tavytera – Etnografía Guaraní del Paraguay Contemporáneo (2ª ed.).. Asunción: Ceaduc, 2008. MELO, H.P., SABBATO, A. Um Olhar de Gênero nos Assentamentos da Reforma Agrária. In: LOPES, A. L. ZARZAR, A. B. (Orgs). Mulheres na reforma agrária a experiência recente no Brasil. Brasília: MDA, 2008. 240p. MEDRADO, M. J. S. Sistemas agroflorestais: aspectos básicos e indicações. In: GALVÃO, A. P. M. (Org.). Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais: um guia para ações municipais e regionais. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologias; Colombo, PR: Embrapa Floresta, 2000. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação: nota técnica de esclarecimento sobre a matrícula de crianças de 4 anos na Educação Infantil e de 6 anos no Ensino Fundamental de 9 anos. Brasília, 2012. 7p. MOTA, J. G. B.; PEREIRA, L. M. O movimento étnico – Socioterritorial Guarani e Kaiowá em Mato Grosso do Sul: Atuação do estado, impasses e dilemas para a demarcação de Terras Indígenas. Boletim DATALUTA, out 2012. Disponível em:http://www2.fct.unesp.br/nera/artigodomes/10artigodomes_2012.pdf. Acesso em:10 abr de 2015. MOURA, P. G.; BATISTA, L. R. V.; MOREIRA, E. A. M. População indígena: uma reflexão sobre a influência da civilização urbana no estado nutricional e na saúde bucal. Revista Nutrição, Campinas, n. 23, maio/jun., 2010. NAIR, P. K. R. An Introduction to Agroforestry. Kluwer: Dordrecht, 1993. NUCCI, J. C. Ecologia e planejamento da paisagem In: SANTOS, D, G., NUCCI, J, C. Paisagens Geográficas: Um tributo a Felisberto Cavalheiro. Campo Mourão: FECILCAM, 2009. 196 p. OLIVEIRA, B. C. Desdobramento da marcha para Oeste na fronteira Brasil- Paraguai: Colonizar era preciso. In: OLIVEIRA, B. C. (Coord). História que (Re)contam História. Dourados: UFGD, 2013. OLIVEIRA, C. A. Quintais agroflorestais mulheres redesenham espaços de produção e reprodução no Maranhão. Agriculturas, v. 6, n. 4, p. 32-35, 2009. PADOVAN, M. P.; CARDOSO, I. M. Panorama da situação dos Sistemas Agroflorestais no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS, 9, 2013, Ilhéus, BA. Palestra....Ilhéus, BA: Instituto Cabruca, 2013. 48 PALUDO, R.; COSTABEBER, J. A. Sistemas agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 7, n. 2, p. 63-76, 2012. PEREIRA, L. M. Demarcação de terras kaiowá e guarani: ocupação tradicional, reordenamentos organizacionais e gestão territorial. Tellus, v. 18, p. 115-137, 2010. ______ Mobilidade e processos de territorialização entre os Kaiowá atuais. Revista História em Reflexão, n. 1, v. 1, 2007. PEREIRA, M, A. C. da. Uma rebelião cultural silenciosa: Investigação sobre os suicídios entre os Guarani. Brasília: FUNAI, 1995. p. 55. (Série: Índios do Brasil, 3). PIMENTEL, S. A morte 'coletiva' dos Guarani-Kaiowá. Carta Capital na Escola, p. 58- 60, dez. 2012. PINHO, R. C.; MILLER, R. P.; UGUEN, K.; MAGALHÃES, L. D.; ALFAIA, S. S. Quintais indígenas do "Lavrado" de Roraima: o exemplo da Terra Indígena Araçá. In: BARBOSA, R. I.; MELO, V. F. (Org.). Roraima - Homem, ambiente e ecologia. Boa Vista: Inpa, 2010. Disponível em: < http://wazakaye.com.br/wp-content/uploads/2013/03/IW2010_cap%C3%ADtulo-Quintaisind% C3%ADgenas-Roraima-homem-ambiente-e-ecologia.pdf>. Acesso em: 18 de nov. 2015. PREISSLER, A. A. Sistemas agroflorestais: Planejamento, Práticas de Manejo e Legislação. 2013. 108 f. TCC (Especialização em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental) – Universidade Norte do Paraná, Paraná, 2013 PESKE, S. T.; ROSENTHAL, M. D.; ROTA, G. R. M. Sementes: Fundamentos científicos e tecnológicos. 3 ed.. Pelotas: Editora rua Pelotas, 2012. 573p. REGO, F. L. H.; BRAND, A. J.; COSTA, R. B. Recursos genéticos, biodiversidade, conhecimento tradicional Kaiowá e Guarani e o desenvolvimento local. Tellus, v. 11, n. 1, p. 55- 69, jan./jun, 2010. REYNALDO, N. I. Guerra do Paraguai: um conflito anunciado (1852 a 1864). Associação Nacional de Pesquisadores e Professores de História das Américas. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇAO DE PESQUISADORES E PROFESSORES DE HISTÓRIA DAS AMÉRICAS, 11, 2010, Goiânia. Anais...Goiânia: UFG, 2010. REZENDE, J. B.; PEREIRA, J. R.; BOTELHO, D. de O. Expansion of eucalyptus culture in the municipalities of Minas Gerais and territorial management. Cerne, Lavras, v. 19, n. 1, p. 1-7, 2013. SANTOS, M. E. R. S.; FONSECA, D. M.; BRAZ, T. G. S.; SILVA, S.P.; GOMES, V.M.; SILVA, G.P. Característica morfogênica e estruturais de perfilhos de capim-braquiária em locais do pasto com alturas variáveis. Revista Brasileira de Zootecnia, v.40, n.3, p. 535-542, 2011. SILVA, S. M.; SOUZA, A. C.; BRITO, M.; PEREIRA, Z. V.; FERNANDES, S. S. L.; PADOVAN, M. P.; MOITINHO, M. R. Sistemas Agroflorestais Diversificados no Cerrado: um estudo de caso no assentamento Lagoa Grande, em Mato Grosso do Sul. Cadernos de Agroecologia, v. 9, n. 4, 2014. 49 SMANIOTTO, C. R.; RAMIRES C. L.; SKOWRONSKI, L. Atlas socioambiental terra indígena Te’yikue. Campo Grande: UCDB, 2009. 31p. SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2012por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjecttraditional landeng
dc.subjectnative forestseng
dc.subjecttraditional gardenseng
dc.subjectdeslocamento espacialpor
dc.subjectterras tradicionaispor
dc.subjectmatas nativaspor
dc.subjectroças coivaraspor
dc.subjectspatial displacementpor
dc.subject.cnpqCiências Agráriaspor
dc.titleKa’a kuéraha yvakuera oje’úva. Quintais agroflorestais na Reserva Te’Yikuê em Caarapó, Mato Grosso do Sul: segurança alimentar às famílias indígenaspor
dc.title.alternativeKa'a kuéraha yvakuera oje'úva. Agroforestry Te'Yikuê Reserve in Caarapó, Mato Grosso do Sul: Food security to indigenous familieseng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:MESTRADO PROFISSIONAL EM AGRICULTURA ORGÂNICA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016 - Jerusa Cariaga Alves.pdf Jerusa Cariaga Alves1.14 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.