???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/tede/811
???metadata.dc.type???: Tese
Title: Revisão do gênero Amblyomma Koch, 1844 (Acari: Ixodidae) no Brasil.
Other Titles: The genus Amblyomma Koch, 1844 (Acari: Ixodidae) in Brazil.
???metadata.dc.creator???: Onofrio, Valeria Castilho 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Barros-battesti, Darci Moraes
First advisor-co: Faccini, João Luiz Horacio
Second Advisor-co: Famadas, Kátia Maria
???metadata.dc.description.resumo???: Na região Neotropical, ocorrem 59 espécies de carrapatos do gênero Amblyomma, das quais 47 são exclusivas, 11 ocorrem também na região Neártica e apenas uma não é autóctone das Américas. Atualmente no Brasil, existem 33 espécies descritas, das quais duas são endêmicas. Neste gênero, a variedade de hospedeiros é grande, compreendendo a maioria das ordens de mamíferos. Aves são freqüentemente parasitadas pelas formas imaturas de algumas espécies. Anfíbios e répteis também estão entre os hospedeiros deste gênero. Com a finalidade de revisar o gênero Amblyomma no Brasil, o presente estudo foi dividido em dois capítulos. O capítulo 1 é composto pela diagnose de cada espécie e por uma chave de identificação, baseada em microscopia eletrônica de varredura. O segundo capítulo teve por objetivos apresentar novas informações sobre o gênero Amblyomma, acrescentando dados de distribuição geográfica e de hospedeiros para cada espécie. Foram examinados alguns tipos depositados nas coleções brasileiras e estrangeiras, assim como o material das principais coleções brasileiras. Os dados obtidos foram comparados àqueles citados na literatura disponível. Das espécies em que foi realizado o sequenciamento gênico, A. auricularium e A. pseudoconcolor mostraram 98,3% de identidade entre si, porém esta última espécie mostrou 88,8% de similaridade com A. pseudoconcolor depositada no GenBank. Dessa forma é necessário repetir as análises, utilizando um número maior de exemplares de carrapatos de diferentes localidades. Assim, até que mais estudos sejam realizados A. auricularium e A. pseudoconcolor devem ser mantidas como espécies distintas. As espécies A. nodosum e A. calcaratum tiveram sua posição taxonômica confirmada como dois táxons distintos, uma vez que a identidade entre as seqüências gênicas foi de 89%. Igualmente as seqüências de A. parkeri e A. longirostre foram diferentes apresentado 87% de similaridade confirmando a validade das duas espécies. Com base em características morfológicas e na biologia molecular, A. parkeri foi separada de A. longirostre e A. geayi e sua validade foi confirmada. A distribuição geográfica de A. auricularium foi ampliada, incluindo os estados do Tocantins, Piauí e Mato Grosso. A presença de A. cajennense no Amazonas foi confirmada e o Amapá foi citado como um novo relato de localidade para esta espécie. Amblyomma coelebs e A. dissimile foram relatadas pela primeira vez para o estado de Roraima, A. dubitatum para o Amazonas e A. naponense para o Acre, Bahia, Tocantins e Espírito Santo. Para A. oblongoguttatum foram acrescentados os estados de Roraima e Amazonas, e para A. scalpturatum os estados do Paraná e Roraima. Foi confirmada a ocorrência de A. ovale no estado do Acre e de A. triste no Mato Grosso do Sul. Após muitos anos, A. parkeri foi novamente reportada para o Brasil e sua área de ocorrência ampliada com os registros para o Rio de Janeiro e Paraná. Os estados do Espírito Santo, Sergipe e Tocantins foram considerados novos relatos de localidade para A. rotundatum. O registro de A. dissimile para o Rio Grande do Sul foi desconsiderado, uma vez que o hospedeiro já se encontrava parasitado quando chegou ao estado e o de A. humerale para São Paulo, também, pois se tratava de A.rotundatum. A ocorrência de A. geayi foi considerada duvidosa para o estado do Paraná.
Abstract: Fifty nine tick species of the genus Amblyomma are known to occur in the Neotropical region. Of these, 47 species are exclusively Neotropical, 11 occur in the Nearctic region as well and only one is not endemic to the Americas. To date, 33 species were described from Brazil, of which only two are endemic. The genus presents a wide range of hosts, including most orders of mammals. Birds are frequently infested by the immature forms of some species. Amphibians and reptiles are also among the genus' hosts. In order to revise the genus Amblyomma in Brazil, the present study was divided into two chapters. The first includes the diagnosis of each species as well as an identification key, based on electron micrographs. The second chapter presents new information on the genus Amblyomma, including data on geographic distribution and hosts for each species. A few type specimens, deposited in Brazilian and foreign institutions were examined as well as material deposited in the main Brazilian collections. The data obtained was compared to that available in literature. Of those species for which DNA sequencing was carried out, A. auricularium and A. pseudoconcolor showed 98.3% identity between them. However, the latter species showed 88.8% similarity with A. pseudoconcolor deposited in GenBank. Thus, it is necessary to repeat the analyses using a larger number of ticks from different localities and until further studies are carried out A. auricularium and A. pseudoconcolor should be treated as separate species. The taxonomic status of A. nodosum and A. calcaratum as two distinct taxa was confirmed, since the identity between sequences was 89%. Similarly, the sequences of A. parkeri and A. longirostre were different, with 87% similarity confirming the validity of both species. Based on morphological characters and on molecular biology A. parkeri was separated from A. longirostre and A. geayi and its validity confirmed. The distribution range of A. auricularium was expanded, including the states of Tocantins, Piauí and Mato Grosso. The presence of A. cajennense was confirmed for Amazonas and Amapá was cited as a new record for this species. Amblyomma coelebs and A. dissimile were recorded for the first time from Roraima, A. dubitatum from Amazonas and A. naponense from Acre, Bahia, Tocantins and Espírito Santo. The states of Roraima and Amazonas were included in the distribution range of A. oblongoguttatum, and Paraná and Roraima in the distribution range of A. scalptutarum. The occurrence of A. ovale was confirmed from the state of Acre and A. triste from Mato Grosso do Sul. After many years, A. parkeri was again recorded from Brazil and it's distribution range expanded to the states of Rio de Janeiro and Paraná. The states of Espírito Santo, Sergipe and Tocantins were considered new locality records for A. rotundatum. The record of A. dissimile from Rio Grande do Sul was not considered since the host was already infested when it reached the state. The record of A. humerale from São Paulo was also not considered since the specimen was actually A. rotundatum. The occurrence of A. geayi in the state of Paraná was considered doubtful.
Keywords: Amblyomma spp
revisão
distribuição geográfica
Brasil
redescription
geographical distribution
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
???metadata.dc.publisher.initials???: UFRRJ
???metadata.dc.publisher.department???: Parasitologia Veterinária
???metadata.dc.publisher.program???: Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias
Citation: ONOFRIO, Valeria Castilho. The genus Amblyomma Koch, 1844 (Acari: Ixodidae) in Brazil.. 2007. 224 f. Tese (Doutorado em Parasitologia Veterinária) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2007.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/tede/811
Issue Date: 7-Mar-2007
Appears in Collections:DOUTORADO EM MEDICINA VETERINÁRIA (PATOLOGIA E CIÊNCIAS CLÍNICAS)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2007- Valeria Castilho Onofrio-01.pdf1.07 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.