???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/tede/713
???metadata.dc.type???: Tese
Title: A Descentralização Florestal no Senegal: Impactos Socioeconômicos e Ecológicos.
Other Titles: Forestry Decentralization in Senegal: Socioeconomical e Ecological Impacts.
???metadata.dc.creator???: Ndiaye, Marie Therese Yaba 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: May, Peter Herman
???metadata.dc.description.resumo???: A descentralização florestal no Senegal constitui o tema desta pesquisa. Em 1998, o Senegal promoveu novas leis florestais que transferiam as competências de gestão das florestas para as comunidades rurais, para frear a pobreza e a degradação ambiental. Neste contexto, a tese investiga os impactos destas reformas nas vidas das populações e nas florestas. A tese tentou lidar com as duas perguntas, se após a descentralização: - as populações locais seriam capazes de manejar efetivemente as florestas e o manejo florestal comunitário participaria na redução da pobreza rural. Fiz um estudo com variação espacial e temporal, comparando duas florestas: Keur Samba Dia e Sambandé durante dois períodos diferentes: antes e após a descentralização. Antes de 1998, a gestão das duas florestas estava sob a responsabilidade do Serviço Florestal Nacional. Depois de 1998, as comunidades rurais se tornaram as novas autoridades na floresta Sambandé enquanto que a floresta Keur Samba Dia permaneceu sob um sistema de co-manejo entre as comunidades rurais e o Estado. A pesquisa deparou com o fato de que, em ambas as florestas, os impactos ecológicos da descentralização foram positivos, pois houve uma regeneração florestal. Todavia, os impactos econômicos resultantes da descentralização, foram diferentes de uma floresta para outra. Na floresta de Sambandé, todos os vilarejos foram beneficiados pela descentralização, enquanto que na floresta de Keur Samba Dia, um vilarejo se sentiu mais prejudicado do que o outro. Estes resultados nos informam, que a participação popular foi benéfica à saúde das florestas, mas não foi suficiente para que as populações se aproveitassem economicamente de uma floresta regenerada. A distribuição eqüitativa, dos benefícios econômicos da descentralização, é mediada pela uniformidade ou formas conflituosos do uso florestal e por fatores sócio - históricos.
Abstract: In 1998 Senegal passed laws that transferred authority over the management of forests to local communities. This dissertation studies the impact of this decentralization on the health of the Samba Dia and Sambande forests and the livelihoods of forest-dependent populations. I use this analysis to reflect on the broader question of the impact of decentralization on conservation and poverty alleviation. I employ temporal and spatial modes of comparison in this study with qualitative research methods. Decentalization has contained forest degradation in both areas. But while people in Sambandé forest report benefits to all from the forest, in Keur Samba Dia members of one village report benefits while others decry a reduction in their benefits from the forest. I argue that the transfer of authority from a largely absent and incapable state to well-organized and knowledgeable local communities account for the containment of environmental degradation in both forests. But while the uniform use of the forest by community members has helped people in Sambandé solve distributive conflicts and so universally benefit from the forest, a significant divergence in how the two villages in Keur Samba Dia exploit the forest has worsened distributive conflicts allowing the more powerful people of Yayem to benefit more but exclude the less powerful people of Samba Diallo from these new benefits. The impact of decentralization on poverty alleviation and forest health is mediated by important local factors and we should not expect it to have good effects in all areas in which it is pursued.
Keywords: descentralização
produtos florestais não-madeireiros
borassus
sustentabilidade ecológica
pobreza
decentralization
forests sustainability
rural poverty alleviation
collective action
distributive conflicts
extralegal enforcement
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
???metadata.dc.publisher.initials???: UFRRJ
???metadata.dc.publisher.department???: Ciências Sociais Aplicadas
???metadata.dc.publisher.program???: Curso de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade
Citation: NDIAYE, Marie Therese Yaba. Forestry Decentralization in Senegal: Socioeconomical e Ecological Impacts.. 2008. 279 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais Aplicadas) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2008.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/tede/713
Issue Date: 21-Aug-2008
Appears in Collections:DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS EM DESENVOLVIMENTO, AGRICULTURA E SOCIEDADE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2008 - Marie Therese Yaba Ndiaye.pdf7.63 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.