???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1624
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBullé, Flávia do Carmo-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/2741754436233351por
dc.contributor.advisor1Motta, Flavia Miller Naethe-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5208144781873134por
dc.contributor.referee1Carvalho, Carlos Roberto de-
dc.contributor.referee2Mello, Marisol Barenco de-
dc.date.accessioned2017-05-11T11:33:38Z-
dc.date.issued2016-02-19-
dc.identifier.citationBullé, Flávia do Carmo. Impactos da “Institucionalização”: um olhar a partir de encontros. 2016. [144 f.]. Dissertação( PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO, CONTEXTOS CONTEMPORÂNEOS E DEMANDAS POPULARES) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, [Seropédica-RJ] .por
dc.identifier.urihttps://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1624-
dc.description.resumoEsta pesquisa tem por objetivo discutir os impactos ocasionados pela Resolução Nº 1 CNE/CEB de março de 2011 que fixa normas de funcionamento das unidades de Educação Infantil ligadas à Administração Pública Federal direta, suas autarquias e fundações e determinando que as unidades de Educação Infantis mantidas e administradas por universidades federais ou que integrem o sistema federal de ensino mantido pela União possam estabelecer condições de funcionamento de acordo com o que determina a Lei nº 9.394/96 e as orientações do Conselho Nacional de Educação Básica. Considerando as relações de tensão estabelecidas entre o particular e o universal, tomamos a Escola de Educação Infantil da UFRJ como mônada, acreditando que estas são “miniaturas de sentido, imagens exemplares finitas nas quais se circunscreve um sujeito que diz de si, mas não somente, abrindo espaço a algo outro que não si mesmo” (GAGNEBIN, 2004, p. 80). Assim, intencionamos compreender as transformações, decorrentes de sua trajetória histórica, as impressões e as inquietações causadas nos atores que no passado e ainda no presente, estiveram diretamente relacionados a esse contexto e que a partir deste estudo se encontram dialogicamente com o objetivo de participarem da escrita deste roteiro. Apegando-me a esses sentidos, os sujeitos se revelam e se tornam objetos da nossa pesquisa, afirmando a potência de seu olhar exotópico diante da „germinação do novo‟, assumindo diante deste cenário uma atitude responsiva, demonstrando e narrando a partir de sua perspectiva a história desse processo de institucionalizaçãopor
dc.description.abstractThis study has the objective to discuss the impacts caused by Resolution Nº 1 CNE/CEB from march 2011 that fixo perating standard of Child hood Education Units linked to Federal Public Administration, their agencies and foundations and determining that the Child hood Education Units maintained and administered by Federal Universities or integrate the federal system of education maintained by Union may establish operating conditions according to Law nº 9.394/96 and National Council of basic education's orientations. Considering the tension relations established be tween the private and the universal, wetake the UFRJ Childhood Education School as monad, believing that these are ''miniatures of these, finite copies images in which circum scribe a subject that say sit self, but not only, open space some other that not it self''(GAGNEBIN, 2004, p. 80). There by, we intend to comprehend the transformations, arising trajctory history path, the impressions and the concerns caused in the actors that in the past and yet in the present, has be endirectly related to this context and that, from this study, meet e a chother dialogically with the purpose of associate tow rite this screen play. Holding me to these senses, thes pecific purposes reveal the subjects that turn sinto to objects our research firm the potency of its exotopic look in front of "germination of new", assuming in front of this scenery a responsive atitude. Showing and narrating starting in his perspective the story about the institutionatizazion this place.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Celso Magalhaes (celsomagalhaes@ufrrj.br) on 2017-05-11T11:33:38Z No. of bitstreams: 1 2016 - Flavia do Carmo Bullé.pdf: 4444495 bytes, checksum: 19e04e016eea5f26f73dac4089a22471 (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2017-05-11T11:33:38Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2016 - Flavia do Carmo Bullé.pdf: 4444495 bytes, checksum: 19e04e016eea5f26f73dac4089a22471 (MD5) Previous issue date: 2016-02-19eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttps://tede.ufrrj.br/retrieve/5476/2016%20-%20Flavia%20do%20Carmo%20Bull%c3%a9.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal Rural do Rio de Janeiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Educaçãopor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFRRJpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Popularespor
dc.relation.references9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AQUINO. L. As políticas sociais para a infância a partir de um olhar sobre a história da criança no Brasil. In: ROMAM E. D. STEYER V. E. A criança de 0 a 6 anos e a Educação Infantil: um retrato multifacetado. Ulbra, 2001. ARAUJO, Iolanda. O lugar da Educação Infantil na Universidade: memórias da gestão da escola de educação infantil da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado, UFRRJ, 2015. BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 4. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. ______; VOLOCHINOV, Valentin Nikolaevich. Marxismo e filosofia da linguagem. 6. Ed. São Paulo: Hucitec, 1992. BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Huciteg, 2010. BAKTHIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 2. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997 a. _____. Estética da Criação Verbal. SP: Martins Fontes, 2010b. BAKTHIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. SP: Hucitec, 2009. BAKTHIN, Mikhail. Para uma filosofia do Ato Responsável. São Carlos: Pedro & João editores, 2012. BAKHTIN, Mikhail M. Estética da criação verbal. 6. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011. _____. Para uma filosofia do ato responsável. Trad.: Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010. BARRETO, Ângela M. R. Situação atual da educação infantil no Brasil. In: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Subsídios para o credenciamento e funcionamento de instituições de educação infantil. v. 2. Coordenação Geral de educação infantil Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF/COEDI, 1998. ______. Ângela M. R. A Educação Infantil no contexto das políticas públicas. BARROS, Manoel de. Memórias inventadas: a segunda infância. São Paulo: Planeta, 2006. XVII poemas. BARROS, Manoel de. Poesia completa. São Paulo, Leya, 2010. BAZÍLIO, Luiz Cavalieri. Infância "rude" no Brasil. In: GONDRA, José Gonçalves (org). História, Infância e Escolarização. Rio de Janeiro: Letras, 2002. BHABHA, H. Signos Tidos como Milagre. In:_ BHABHA, H. O Local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998. 103 BEMONG, NELE. Bakhtin e o cronotopo: reflexões, aplicações, perspectivas. Bemong, et. al.; tradução Oziris Borges Filho, et. al – São Paulo: Parábola Editorial, 2015. BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Vol. I. São Paulo: Brasiliense, 1985. BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história [SCH]. In: Obras Escolhidas. São Paulo: Brasiliense, 1985 BENJAMIN, Walter. Escavando e Recordando. In: ______. Obras Escolhidas II: Rua de mão única. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1995. _____. Experiência e pobreza. In: ______. Obras Escolhidas: Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1994. BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo, SP, Brasiliense, 1985. BHERING E SILVEIRA. Escola de Educação Infantil UFRJ. In: FERREIRA e CACIAN Orgs. Ione Mendes S. Ferreira e Viviane Ache Cacian. Unidades de Educação Infantil nas Universidades Federais: os caminhos percorridos. Goiânia, GO: FUNAPE, 2009. BITTAR, M; SILVA, J.; MOTA, M. A .C. Formulação e implementação da política de educação infantil no Brasil. In: Educação infantil, política, formação e prática docente. Campo Grande, MS: UCDB, 2003. BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin e o Círculo. SP: Contexto, 2009. BRANDÃO, Z.; ABRAMOVAY, M.; KRAMER, S. O pré-escolar e as classes desfavorecidas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 39, p. 43- 45, nov. 1981. BRASIL. Decreto-Lei Nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Consolidação das Leis do Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 ago. 1943. Disponível em: <http://www.trt02.gov.br/geral/tribunal2/legis/CLT /INDICE.html>. Acesso em: 6 junho, 2015. BRASIL. Portaria DNSHT – N° 1 de 15 de janeiro de 1969. em: <http://www.trt02.gov.br/geral/tribunal2/legis/CLT /INDICE.html>. Acesso em:6 junho, 2015. BRASIL. Constituição da República federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988. 168 p. BRASIL. Decreto Nº 93.408, de 10 de Outubro de 1986. BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, 2009. 104 BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010. BRASIL. Indicadores de Qualidade na Educação Infantil, 2009. BRASIL. LDB. Lei 9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF. BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 1, de 07 de Abril de 1999. Brasília, DF. ______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB Nº 17/2010. BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 1, de 10 de Março de 2011. Brasília, DF. BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Lei nº 13.005/2014. Brasília, DF. BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Lei nº 10.172/2001. Brasília, DF BRANDÃO, Carlos da Fonseca. A educação infantil no Plano Nacional de Educação: a questão da oferta e do atendimento. In: PASCHOAL, Jaqueline. D. (Org.). Trabalho pedagógico na educação infantil. Londrina, PR: Humanidades, 2007, p.77-86. CARVALHO, Carlos Roberto e MOTTA, Flávia Miller Naethe. Escrever responsável sob as condições do deserto: O compromisso com o outro e a contemporaneidade. Revista Teias, v.14, n.32, 12-35, maio/ago.2013. CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO – CLT. São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2004. Acesso em 21 de maio de 2015. DIDONET, Vital. Creche: a que veio, para onde vai. In: Educação Infantil: a creche, um bom começo. Em Aberto/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. v 18, n. 73. Brasília, 2001. FAGUNDES, M. R. A creche no trabalho... o trabalho na creche: um estudo sobre o Centro de Convivência Infantil da Unicamp: trajetória e perspectivas. 1997. 179f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. FÁVERO, M. de L. de A. Universidade do Brasil: das origens à construção. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/INEP, 2000. FERRAÇO, C. E. Escola nua ou sobre a força e a beleza das ações cotidianas. 175f. Tese (Doutorado) Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação FEUSP: USP, 2000. 105 _____.Eu, caçador de mim. In: GARCIA, Regina Leite (Org.). Método: pesquisa com o cotidiano. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 157-176. _. FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987. FREITAS, M. T. A.. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n. 116, julho/ 2002 p. 21-39. FREITAS, M. T. A.. Educação, arte e vida em Bakhtin. Belo Horizonte, MG, Autêntica, 2013. GAGNEBIN, J. M. História e Narração em Walter Benjamin. São Paulo: Perspectiva, 2004. GOHN, M. G. Educação Infantil: aspectos da legislação. Campinas: Departamento de Criança ao Projeto Jorge Haje, 1990 (mimeo). KISHIMOTO, T. M. A pré-escola em São Paulo (1877-1940). São Paulo: Loyola, 1988. GRAGNANI, A.M.C. Creches e berçários em empresas privadas paulistas. In: Rosemberg, F. (Org.). Temas em destaque: creche. São Paulo: Cortez; Fundação Carlos Chagas, 1989. p. 104-134. HADDAD, L. A creche em busca de identidade: perspectivas e conflitos na construção de um projeto educativo. São Paulo: Loyola, 1990. HELLER, Agnez. A concepção de família no Estado de Bem-estar Social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v.8, n.24, agosto 1987. KISHIMOTO, T.M. Política de formação profissional para a educação infantil: Pedagogia e Normal Superior. Educ. Soc., Dez 1999, vol.20, no. 68, p.61-79. ISSN 0101-7330 KISHIMOTO, T.M. et al., (2000). Formação de profissionais de educação infantil: prática reflexiva e socialização da criança. Actas do Congresso Internacional Mundos Sociais e Culturais da Infância. Braga: Instituto dos Estudos da Criança da Universidade do Minho, p. 53-63. KISHIMOTO, T. M. A pré-escola em São Paulo (1877-1940). São Paulo: Loyola, 1988. KRAMER, Sonia. Por entre as pedras: arma e sonho na escola. 3ª ed .São Paulo: Ática, 2003. KRAMER, Sonia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 3ªed. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1987. KRAMER, Sonia. Política de financiamento para creches e pré-escolas: razões políticas e razões práticas. In: Campos, M.M.; Faria A.G. (Org.). Financiamento de políticas públicas para crianças de 0 a 6 anos. Cadernos ANPED, n. 1, p. 43-56, 1989. 106 KRAMER, Sonia. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Educ. Soc., v. 27, n. 96, p.797-818, out. 2006. KUHLMANN JR., M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação. 1998. KULHMANN JR. M. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediações, 2001. _____. O jardim de infância e a educação das crianças pobres: final do século XIX início do século XX. In MONARCHA. C. Educação da infância brasileira 1875 – 1983. São Paulo: Autores Associados, 2001. _____. Educação Infantil e Currículo. In FARIA. A.L.G, PALHARES. M. S. Educação infantil pós LDB: rumos e desafios. São Paulo: Autores Associados, 1999. LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Contribuições de Stephen Ball para o estudo de políticas de currículo. In: BALL, Stephen J.; MAINARDES, Jefferson. (orgs.). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011. LOPES, Isabela Pereira. Sonhos em Retalhos: a creche da Fábrica Andorinhas em Santo Aleixo – RJ (1946-1970), 2006. Monografia (Pedagogia) – Faculdade de Educação, universidade Federal Fluminense, Niterói. _____. A Escola de Educação Infantil da UFRJ frente à Resolução Nº 1 CNE/MEC. Monografia (Pós Graduação lato sensu). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012. _____. O acesso às unidades universitárias federais de educação infantil (UUFEI’s): a escola de educação infantil da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014. Dissertação (Mestrado em Educação), UFRJ, Rio de Janeiro. Luz e Faria Filho. Grupos de pesquisa sobre infância, criança e educação infantil no Brasil: primeiras aproximações. Revista Brasileira de Educação v. 15 n. 43 jan./abr. UFMG, 2010. Disponível em www.scielo.br. Acesso em 18/05/2015. MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 27, n. 94. p. 47-69, jan/abr 2006. Disponível em www.scielo.br Acesso em 20 de maio janeiro de 2015. MINAYO, M. C. de S. O desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 1999. MOTTA, Flávia Miller Naethe. De crianças a alunos: transformações sociais na passagem da educação infantil para o ensino fundamental. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, 2011. 107 MOTTA E NASCIMENTO. Políticas e práticas educacionais: um exercício de análise da inclusão de crianças de 4 anos na Educação Básica. In: SILVA e MEDINA Orgs. Maria Vieira Silva e Sarita Medina. Trabalho docente e políticas educacionais para a: desafios contemporâneos. Uberlândia, MG: EDUFU, 2014. NBR ENTREVISTA - MEC estabelece regras para as Creches Federais. 23 mar 2011. Disponível em: www.youtube.com/watchv=nXjRTBpImf4. Acesso em: 28 de março de 2014. NÓVOA, A. (Org.). Vidas de Professores. Portugal, Porto: Porto Editora, 1992. NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: _______. (Org.). Vidas de professores. Portugal, Porto: Porto Editora, 1995. NUNES, F.R.; CORSINO, P.; DIDONET, V. Educação Infantil no Brasil: primeira etapa da educação básica. Brasília: MEC, 2011. NUNES, A.V. O que eles pensam de Rubem Alves e de seu humanismo na religião, na educação e na poesia. São Paulo, SP: Paulus, 2007. OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do antropólogo: Olhar, ouvir, escrever. São Paulo, 1988, p. 17-35, OLIVEIRA, Z.M.R. A creche no Brasil: mapeamento de uma trajetória. Revista Faculdade de Educação, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 43-52, jan./jun. 1988. OLIVEIRA, Z.M.R.; FERREIRA, M.C.R. Propostas para o atendimento em creches no Município de São Paulo: histórico de uma realidade - 1986. In: Rosemberg, F. (Org.). Temas em destaque: creche. São Paulo: Cortez; Fundação Carlos Chagas, 1989, p. 28-89. OLIVEIRA, Z.M.R.; MELLO, A.M.; VITÓRIA, T.; FERREIRA, M.C.R. Creches: crianças, faz-de-conta &cia. Petrópolis: Vozes, 1992. PEREIRA, Potyara A. P. A Assistência Social na perspectiva dos direitos. Crítica aos padrões dominantes de proteção aos pobres no Brasil. Brasília Thesaurus, 1996. PONZIO, Augusto. A Revolução Bakhtiniana: o pensamento de Bakhtin e a ideologia contemporânea. São Paulo: Contexto, 2011. RAUPP, M. D. Creches nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. In: Educação & Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 86, p. 197-217, abril, 2004. RAUPP, M. D. A educação infantil nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – UFSC, Santa Catarina. 108 _____. Relação Universidade – Unidade de Educação Infantil e Histórico da Associação Nacional da ANUUFEI. In: ANAIS do III Encontro Nacional das Unidades Universitárias Federais de Educação Infantil. São Carlos: UFSCar, p. 16-26, 2003. RIBES E MACDO. Infância em Pesquisa. Rio de Janeiro, RJ: NAU, 2012. ROSÁRIO, Bispo. Livro sobre nada. Rio de Janeiro/São Paulo, Record, 2004. ROSEMBERG, F. A educação da criança pequena, a produção do conhecimento e a universidade. In: Campos, M.M.; Faria, A.G. (Org.). Financiamento de políticas públicas para crianças de 0 a 6 anos. Cadernos ANPED, n. 1, p. 57-64, 1989b. ROSEMBERG, F. A educação pré-escolar brasileira durante os governos militares. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 82, p. 21-30, 1992. ROSEMBERG, F. O movimento de mulheres e a abertura política no Brasil: o caso da creche - 1984. In: Rosemberg, F. (Org.). Temas em destaque: creche. São Paulo: Cortez; Fundação Carlos Chagas, 1989 a.p. 90-102 ROSEMBERG, Fúlvia. Educação Infantil, educar e cuidar e a atuação profissional. Infância na Ciranda da Educação. São Paulo, v. 3, 1997, p. 21-26. ROSEMBERG, Fúlvia. Educar e cuidar como funções da educação infantil no Brasil: Perspectiva histórica. São Paulo: Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade de Campinas, 1999. SHAKSPARE, William. 44 Sonetos Escolhidos. Tradução de Thereza Christina Rocque da Motta. Rio de Janeiro: Ibis Libris. 2006. http://pt.wikipedia.org/wiki/Sonetos_de_Shakespeare Projeto Político Pedagógico da escola de Educação Infantil da UFRJ. Rio de Janeiro, out 2007. UFRJ. Estatuto. Rio de Janeiro. . Disponível em: www.ufrj.br/pr/conteudo_pr.php?sigla=ESTATUTO. Acesso em: 27 de março 2013. UFRJ. Relatório de Reunião do GT de Institucionalização da EEI-UFRJ. Rio de Janeiro. 27 mar 2012. (mimeo). SAINT-EXUPÉRY, A. O Pequeno Príncipe. São Paulo, SP, Ediouro, 2009. SILVA, E. S. Compromisso político e social da Universidade: a criação da Divisão de Integração Universidade – Comunidade (DIUC) na UFRJ. In: Revista Extensão na UFRJ, Rio de Janeiro, jun, 2011. Disponível em: http://www.pr5.ufrj.br/revista/index.php?option=com_content&view=article&id=4:compromisso-politico-e-social-da-universidade-a-criacao-da-divisao-de-integracao-universidade-comunidade-diuc-na-ufrj&catid=1:artigos-revista-n00&Itemid=3 VIEIRA, Lívia M. F. Creches no Brasil: do mal necessário a lugar de compensar carências: rumo à construção de um projeto educacional. Belo Horizonte: Faculdade de Educação da UFMG, 1986. Dissertação (mestrado). 109 SABINO E SERENO. Novas Poesias Inéditas. Fernando Pessoa. Lisboa, Ática, 1993. SILVA, I. O. Luz, I. R., & Faria, L. M., Filho. (2010). Grupos de pesquisa sobre infância, criança e Educação Infantil no Brasil: primeiras aproximações. Revista Brasileira Educacional, 15(43), 84-97. _____. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB Nº 17/2010. _____. Resolução nº 1, de 10 de março de 2011. Fixa normas de funcionamento das unidades de educação infantil ligadas à Administração Pública Federal direta, suas autarquias e fundações. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 11 mar. 2011. OBSERVATÓRIO. Plano Nacional de Educação. Brasil, MEC/ Metas, 2015por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectChildhood education;; ;eng
dc.subjectpublic policyeng
dc.subjectUniversity Day careeng
dc.subjectResolution Nº1 CEB/CNE 2011eng
dc.subjectEducação Infantilpor
dc.subjectPolíticas Públicaspor
dc.subjectCreche Universitáriapor
dc.subjectResolução Nº1 CEB/CNE 2011por
dc.subject.cnpqCiências Humanaspor
dc.titleImpactos da “Institucionalização”: um olhar a partir de encontrospor
dc.title.alternativeImpacts of "Institutionalization": a look from meetingseng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:MESTRADO EM EDUCAÇÃO, CONTEXTOS CONTEMPORÂNEOS E DEMANDAS POPULARES

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016 - Flavia do Carmo Bullé.pdf2016 - Flavia do Carmo Bullé4.34 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.