???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1153
???metadata.dc.type???: Tese
Title: Estudo da ocratoxina em soro sanguíneo de suínos confinados em diferentes estados brasileiros
???metadata.dc.creator???: KRUGER, Cesar Daniel 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Rosa, Carlos Alberto da Rocha
First advisor-co: Direito, Gloria Maria
Second Advisor-co: Cavaglieri, Lilia Renee
???metadata.dc.description.resumo???: O interesse pelos fungos e pelas micotoxinas é enorme, não só do ponto de vista científico, como também sob a perspectiva econômica. São muitos os problemas gerados desde o agricultor até o consumidor final. Baixos rendimentos da colheita, deterioramento de níveis zootécnicos na produção comercial de animais e doença nos mesmos, alterações nos alimentos, perdas de características sensoriais e nutricionais, aumento dos custos derivados da prevenção e do tratamento descontaminante estão entre alguns dos transtornos gerados pela presença dos fungos e seus matabólitos. A ocratoxina A ocupa a cada dia um papel de destaque no cenário da micotoxicologia devido a sua importância. Muitos esforços têm sido empreendidos para se definir a situação mundial da ocorrência desta micotoxina. Este trabalho teve como foco principal definir em algumas áreas específicas a ocorrência desta micotoxina, que há pouco tempo atrás era ignorada dentro do cenário dos contaminantes nos produtos brasileiros, além de colocar em prática a metodologia de detecção de OTA em soro suíno. Foram coletadas 400 amostras de soro sanguíneo suíno em diferentes matadouros de quatro estados brasileiros. Estas amostras foram processadas e submetidas a técnicas de determinação por cromatografia líquida de alta eficiência para se determinar suas concentrações da toxina em estudo. RESULTADOS: A concentração média de ocratoxina A no soro sanguíneo suíno das amostras com níveis acima do limite de detecção foi de 23,729 μg/L. CONCLUSÕES: A ocratoxina A está presente no suíno produzido no Brasil. Todos os Estados pesquisados apresentaram amostras acima do limite de detecção e quantificação. O clima mais frio favorece o aparecimento de ocratoxina A, demonstrado no maior nível de amostras positivas com limites acima de 5 μg/L no Estado de Santa Catarina (52%). O Estado de Mato Grosso apresentou o maior número de amostras positivas para ocratoxina A acima do limite detectável pela técnica utilizada (69%). O Estado da Bahia foi o que apresentou maior quantidade de amostras abaixo do limite detectável (64%).
Abstract: Interest in fungi and the mycotoxins is enormous, not only from the scientific point of view, but also in the economic outlook. There are many problems arising from the farmer to the consumer. Low yields, deteriorating levels in commercial husbandry of animals and disease in them, changes in food, loss of sensory and nutritional characteristics, increased costs resulting from the prevention and treatment of decontamination are among some of the disorders generated by the presence of fungi and their matabólitos. Ochratoxin A occupies every day a major role in the setting of Mycotoxicology due to its importance. Many efforts have been undertaken to define the global situation of occurrence of this mycotoxin. This study focused on a set in specific areas the occurrence of this mycotoxin, which not long ago was ignored in the setting of contaminants in Brazil as well as putting into practice the methods of detection of OTA in pig serum. We collected 400 samples of blood serum from pig slaughterhouses in four different states. These samples were processed and subjected to techniques for determining liquid chromatography with high efficiency to determine concentrations of the toxin in the study. RESULTS: The mean concentration of ochratoxin A in pig blood serum samples with levels above the limit of detection was 23.729 μg/L. CONCLUSIONS: Ochratoxin A is present in the pork produced in Brazil. All the samples surveyed were above the limit of detection and quantification. The colder climate favors the development of ochratoxin A, demonstrated the highest level of positive samples with limits above 5 μg/L in the State of Santa Catarina (52%). The state of Mato Grosso showed the highest number of positive samples for ochratoxin A above the limit detectable by the technique used (69%). The State of Bahia showed the greatest number of samples below the detectable limit (64%).
Keywords: ochratoxin, hematology, cromatography
ocratoxina, hematologia, cromatografia
???metadata.dc.subject.cnpq???: Ciências Agrárias
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
???metadata.dc.publisher.initials???: UFRRJ
???metadata.dc.publisher.department???: Instituto de Veterinária
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias
Citation: KRUGER, Cesar Daniel. Estudo da ocratoxina em soro sanguíneo de suínos confinados em diferentes estados brasileiros. 2010. 80 f. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias). Instituto dr Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 2010..
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/1153
Issue Date: 11-Feb-2010
Appears in Collections:MESTRADO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2010 - Cesar Daniel Kruger.pdfDocumento principal4.21 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.