???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/2121
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorANDRADE, Agnaldo Machado de-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6782664265108872por
dc.contributor.advisor1Almeida, Fernando Queiroz de-
dc.contributor.advisor-co1Godoi, Fernanda Nascimento de-
dc.contributor.referee1Almeida, Fernando Queiroz de-
dc.contributor.referee2Figueiredo, Marcelo Abdu-
dc.contributor.referee3Almeida, Maria Izabel Vieira de-
dc.date.accessioned2017-10-24T17:21:40Z-
dc.date.issued2014-09-05-
dc.identifier.citationANDRADE, Agnaldo Machado de. Biometria e locomoção de equinos da raça Brasileiro de Hipismo. 2014. 57 f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 2014.por
dc.identifier.urihttps://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/2121-
dc.description.resumoObjetivou-se analisar as características morfométricas dos equinos e a análise cinemática dos andamentos passo, trote e galope, assim como as transições ascendentes e descendentes desses andamentos em esteira de alta velocidade com os animais sem cavaleiro e em pista de areia montados. Foram utilizados 13 equinos da raça Brasileiro de Hipismo, sendo 12 fêmeas e um macho castrado, com média idade de 9,0 ± 2,8 anos e peso médio de 472,5 ± 34,2Kg provenientes da Escola de Equitação do Exército (EsEqEx). As medidas lineares, angulares e de perímetro foram mensuradas com os equinos em estação forçada. Os animais foram filmados em ambiente padronizado na esteira e na pista, com fundo preto e iluminação com holofotes. Foi utilizada esteira de alta velocidade (Sahinco®) e pista de areia coberta de piso plano e regular. As imagens foram obtidas e processadas no aplicativo Simi Reality Motion Systems® e filmada com câmera Basler piA640. O ensaio foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com dois tratamentos (equinos em esteira de alta velocidade e equinos montados em pista de areia), em esquema de dados pareados, 13 repetições (animais) e os resultados submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste t pareado (P<0,05). No dia das filmagens, os animais realizaram aquecimento com tempo de 10 minutos, ao passo, trote e galope. Na pista os equinos foram montados por três experientes instrutores de equitação. Os equinos foram classificados em mediolíneos e hipermétricos, sendo as médias 0,87 e 0,11 para IC e IDT.Na análise cinemática, as variáveis estudas foram comprimento da passada, velocidade da passada, tempo de apoio, tempo de suspensão e pegadas dos membros em lateral esquerdo e direito. No andamento estação-passo só houve diferença (p<0,05) para o tempo de suspensão e pegada lateral direito com os maiores valores médios para análise na esteira, 0,39s e -0,22cm (retropegada). No passo reunido houve diferença (p<0,05) para comprimento da passada, tempo de apoio, tempo de suspensão e para as pegadas dos membros em lateral esquerdo e direito com os maiores valores médios para a análise na esteira em relação a pista de areia. No andamento passo alongado a análise na esteira apresentou os maiores valores médios para comprimento da passada e velocidade da passada, 2,1m e 1,98m/s já a análise na pista de areia apresentou maiores valores de tempo de apoio e para as pegadas em lateral esquerdo e direito. Nas transições ascendentes, apresentaram valores significativos (p<0,05) para análise na esteira, velocidade da passada, tempo de suspensão e pegadas, porém nas duas transições o tempo de apoio foi maior (p<0,05) na análise na pista de areia. Na transição descendente do andamento galope para o trote foi observado menor (p<0,05) tempo de apoio e maior tempo de suspensão nos equinos avaliados na esteira, de 0,21s e 0,38s, respectivamente. O comprimento da passada foi semelhante (p>0,05) nos equinos avaliados em esteira e em pista de areia, porém a velocidade de transição obteve maior valor nos equinos avaliados na esteira, de 4,03m/s em relação à avaliação em pista de areia, de 3,2m/s. Conclui-se a partir da morfometria os equinos foram enquadrados no padrão de sela em mediolíneos e hipermétricos e na cinemática a única variável que se manteve com valor maior na esteira em todas as transições foi o tempo de suspensão, já o comprimento da passada e a velocidade da passada apresentaram maiores valores na esteira exceto nas transições estação-passo e trote-passo, o que pode esta relacionada a influências não definidas no estudo.por
dc.description.abstractThe aim of this study was to analyze horses’ morphological traits and kinematics of pace, trot and gallop movements, as well as, upward and downward transitions on a high speed treadmill in horses without riders and mounted on a sand track. Thirteen Brasilian Sport Horses horses were used, 12 females and 1 castrated male with 9.0±2.8 years old mean age and 472.5±34.2 Kg mean weight, from the Army Cavalry School (EsEqEx). Linear, angular and perimeter measurements were performed with horses at forced statio. The animals were filmed at a standardized environment on the treadmill with black background and spotlights lighting. High-speed treadmill (Sahinco™) and sand track covered with flat and smooth floor were used. The images were obtained and processed by Simi Reality Motion Systems™ and filmed by PiA640 Basler camera. The experiment was carried out in a completely randomized design with two treatments (horses on a high speed treadmill and mounted horses on a sand track) in paired data and 13 replications (animals). The results were submitted to variance analysis and means were compared by paired t test (P<0.05). At the day of filming, the animal performed a war up for 10 minutes at walking, trotting and galloping speeds. On the track, horses were mounted by three experienced riding instructors. Horses were classified as medium shaped and hypermetric, being the mean values for IC and IDT 0.87 and 0.11, respectively. In kinematics analysis, the following variables studied were stride length, speed pace, support time, sleep time and members foot prints on the left and right sides. In the standing-pace course just suspension time and right side foot prints presented difference (p<0.05) with the highest mean values on treadmill of 0.39s and -0.22cm (retro foot prints). In the meeting step on the treadmill analysis differences were observed (p<0.05) in stride length, support time, sleep time and members foot prints on left and right sides with the highest mean values from treadmill analysis when comparing to the sand track. In the elongated pace course, treadmill analysis presented the highest mean values for stride length and pace speed 2.1m and 1.98m/s while sand track analysis presented the highest values for support time and members foot prints on the left and right sides. In upward transitions, the same variables were significative (p<0.05) for treadmill analysis, speed pace, sleep time and members foot prints on the left and right sides, however, on two transitions, support time was higher (p<0.05) for sand track analysis. In the downward transition from gallop to trot lower (p<0.05) support time and higher suspension time were observed, being 0.21s and 0.38s, respectively. Stride length was similar (p<0.05) on horses evaluated on a treadmill and sand track, however, speed of transition was higher on treadmill being 4.03m/s in regarding to sand track 3.2m/s. In conclusion, regarding the morphometry, horses were framed on the saddle pattern for medium shape and hypermetric and; regarding kinematics, suspension time was the only variable presenting higher values for treadmill in all transitions, while stride length and speed pace presented the highest mean values for treadmill apart from for station-pace and pace-trot transitions, suggesting it may be related to influences undefined on this study.eng
dc.description.provenanceSubmitted by Jorge Silva (jorgelmsilva@ufrrj.br) on 2017-10-24T17:20:42Z No. of bitstreams: 1 2014 - Agnaldo Machado de Andrade.pdf: 1647540 bytes, checksum: 99ee190f180231a22389dc30a31fa5eb (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2017-10-24T17:21:40Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2014 - Agnaldo Machado de Andrade.pdf: 1647540 bytes, checksum: 99ee190f180231a22389dc30a31fa5eb (MD5) Previous issue date: 2014-09-05eng
dc.description.sponsorshipCAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttps://tede.ufrrj.br/retrieve/6790/2016%20-%20Bruna%20Caroline%20Franzan.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal Rural do Rio de Janeiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Zootecniapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFRRJpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Zootecniapor
dc.relation.referencesASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DO CAVALO BRASILEIRO DE HIPISMO- ABCCBH Disponível em: <http://www.brasileirodehipismo.com.br/arquivos/REGULAMENTO_STUDBOOK_FINAL_2011.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2014. AZEVEDO, J.F.; MIRANDA, A.C.T.; RAMOS, M.T.; OLIVEIRA, C.A.A.; PADILHA, F.G.F.; SILVA, V.P.; BALDANI, C.D.; ALMEIDA, F.Q. Evaluation of physiological responses of cardiac and blood parameters after incremental exercise on field and laboratory tests in eventing horses. Comparative Exercise Physiology. v.10, n.1, p.33-37. 2014. BACK, W.; CLAYTON, H. Equine locomotion. London: W.B. Saunders, 2001. 384p. BACK, W.; CLAYTON, H.Equine locomotion.2nd EditionLondon: W.B. Saunders, 2013. 528p. BAKHTIARI, J.; HESHMAT, G. Estimation of genetic parameters of conformation traits in Iranian Thoroughbred horses.Livestock Science, v. 123, p.116-120, 2009. BARREY, E. Biomechanics of locomotion in the athletic horse. In: HINCHCLIFF, K.W.; GEOR, R.J.; KANEPS, A.J. Equine Exercise Physiology – The Science of Exercise in the Athletic Horse. Saunders, p.143-168, 2008. BARREY, E.; DESLIENS, F.; POIREL, D. Early evaluation of dressage ability in, different breeds. Equine Exercise Physiology (Suppl. 34), p. 319-324, 2002. BECK, S.L. Investigação sobre correlação entre morfologia e andamento na raça Mangalarga Marchador. In: BECK, S.L. Mangalarga Marchador, caracterização, história, seleção. Brasília: edição dos autores, 1992, 332p. BORTON, A. Biologia del caballo.In: HINTZ, H. F., EVANS, J.W.; BORTON, A. et al. (Eds.) El caballo. Zaragoza: Acribia, p.233-334, 1979. CABRAL, C.C; ALMEIDA, F.Q.A; QUIRINO, C.R.; PINTO, L.F.B.; SANTOS, E.M.; CORASSA, A. Avaliação Morfométrica de Equinos da Raça Mangalarga Marchador: Medidas Lineares. R. Bras. Zootec., v.33, p.989-1000, 2004. CABRAL, G.C.; ALMEIDA, F.Q.; AZEVEDO, P.C.N. Avaliação morfométrica de equinos da raça Mangalarga Marchador: Índices de Conformação e Proporções Corporais. Revista Brasileira de Zootecnia, v.33, n.6, p.1798-1805, 2004. CAMARGO, M.X.; CHIEFFI, A. Ezoognózia. São Paulo: Instituto de Zootecnia, 1971. 320p. CAVALCANTI, P. C. Equitação global: concurso completo de equitação.1a ed. São Paulo: Nobel Editora. 1993, 186p. CBH – Confederação Brasileira de Hipismo. Regulamento de Concurso Completo de Equitação.Disponívelem:<http://www.cbh.org.br/admin/arquivos/regulamento_CCE_cbh_2011(1). pdf>. Acesso em: 12 de dezembro de 2013. CHRISTOVÃO F.G. BARROS, R.M.L. FREITAS,E.V.V. LACERDA-NETO, J.C. QUEIROZ-NETO, A.Análise cinemática tridimensional do movimento de eqüinos em esteira rolante.Arquivo Brasileiro Medicina Veterinária Zootecnia, v.59, n.4, p.862-868, 2007. CLAYTON, H. M., LANOVAZ, J. L., SCHAMHARDT, H. C., WILLEMEN, M. A., COLBORNE G. R., Net moment joints and powers in the equine forelimb during stance phase at the trot. Equine Veterinary Journal, v.30, p 384-389, 1998. CLAYTON, H. M.; SCHAMHARDT, H. C. Measurement techniques for gait analysis. In: BACK, W.; CLAYTON, H. Equine locomotion.London, W.B. Saunders, 2001. p. 55-75. DIAS, I.M.G. et al. Formação e estrutura populacional do equino Brasileiro de Hipismo. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.52, n.6, p.647-654, 2000. FEI - Fédération Equestre Internationale, Disponível em: http://search.fei.org/ Search_Centre/Result/Pages/CompetitionSearch.aspx?p=26BF0222A68DB4C13B657FEA80E75A0F47095F10B39A33D35DBAD80C3B151DA38FF26B802671B090DBCF29E57FFBC718. Acesso em: 16/11/13. GODOI, F.N. Avaliação cinemática de variáveis relacionadas ao resultado dos saltos de potros. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2012. 151p. Tese (Doutorado em Ciência Animal) - Universidade Federal de Minas Gerais, 2012. GODOI. F.N.; BERGMANN. J.A.G.; ALMEIDA. F.Q. Metodologia da análise morfométrica de equinos em estação e da análise cinemática dos equinos durante o salto em liberdade. Ciência Rural. 2013. GRIFFIN, T.M.; KRAM, R.; WICKLER, S.J.; HOYT, D.F. Biomechanical and energetic determinants of the walk-trot transition in horses. The Journal of Experimental Biology, v. 207, p.4215-4223, 2004. HOYT, D. F.; MOLINARI, M.; WICKLER, S.J.; COGGER, E.A. Effect of trotting speed, load and incline on hindlimb stance-phase kinematics. Equine Exercise Physiology (Suppl. 34), p. 330-336, 2002. HUSSNI, C.A.; WISSDORF, H.; NICOLETTI, J.L.M. Variações da marcha em equinos da raça Mangalarga Marchador. Ciência Rural, v. 26, p. 91-95, 1996. KOENEN, E.P.C.; VELDHUIZEN, E.P.C; BRASCAMP, A.E. Genetic parameters of linear scored conformation traits and their relation to dressage and show-jumping performance in the Dutch Warmblood Riding Horse population. LivestockProduction Science, v. 43, p. 85-94, 1995. LAGE, M.C.G.R. Caracterização morfométrica, dos aprumos e do padrão de deslocamento de equinos da raçaMangalarga Marchador e suas associações com a qualidade da marcha. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2001. 114p. Tese (Doutorado em CiênciaAnimal), 2001. LAGE,M.C.G.R.; BERGMANN, J.A.G.; PROCÓPIO, A.M.; PEREIRA, J.C.C; BIONDINI, J. Associação entre medidas lineares e angulares de equinos da raça Mangalarga Marchador. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinaria e Zootecnia, v.61, p.968-979, 2009. LICART, Cap. Equitação Racional.(tradução do Cel. José Carnavó Filho), Força Pública do Estado de São Paulo, 1989, 144p. MARINA SOLÉ, M.; GÓMEZ, M.D.; GALISTEO, A.M.Kinematic Characterization of the Menorca Horse at the Walk andthe Trot: Influence of Hind Limb Pastern Angle. Journal of Equine Veterinary Science, v.33, p. 726-732, 2013. MCMANUS, C; FALCÃO, R.A.; SPRITZE, A.; et al. Caracterização Morfológica de Equinos da Raça Campeiro.Revista Brasileira de Zootecnia, v.34, p.1553-1562, 2005. MENZEL, H. J. Áreas de aplicação da Biomecânica para o cavalo atleta. SIMCAV-SIMPÓSIO INTERNACIONAL DO CAVALO ATLETA, 2. Belo Horizonte, 2005.Anais...:UFMG,76-82p,2005. MENZEL, H. J. Conceitos da análise biomecânica da técnica de movimento In: Novos Conceitos em Treinamento Esportivo, CENESP-UFMG, p. 43-72, 1999. MIRANDA, A.C.T. Avaliação de Parâmetros Fisiológicos e do Metabolismo Mitocondrial Muscular em Equinos de Concurso Completo de Equitação Submetidos a Exercício Intenso. 2014. 81 p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 2014. MISERANI, M.G. Variação genética, fenotípica e caracterização do cavalo Pantaneiro. Brasília: Universidade de Brasília, 2001, 92p. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade de Brasília, 2001. MIYASHIRO, P. Comparação entre julgamento tradicional e avaliação cinemática do salto de cavalos da raça Brasileiro de Hipismo. 2012. 87f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. MONTEIRO, W.D.; ARAÚJO, C.G.S. Transição caminhada-corrida: considerações fisiológicas e perspectivas para estudos futuros. Ver. Bras. Med. Esporte, v.7, p. 222-227, 2001. NASCIMENTO, J. F. Mangalarga marchador: tratado morfofuncional. Belo Horizonte: Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador-ABCCMM, 1999. 577p. OOM, M.M.; FERREIRA, J.C. Estudo biométrico do cavalo Alter. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, v.83, p.101-148, 1987. PIMENTEL, M.M.L.; CÂMARA, F.V.; DANTAS, R.A.; et al. Biometria de equinos de vaquejada no Rio Grande do Norte, Brasil. Acta Veterinaria Brasilica, v.5, p.376-379, 2011. PINTO, L. F. B.; ALMEIDA, F. Q.; QUIRINO, C. R. et al. Análise multivariada das medidas morfométricas de potros da raça Mangalarga Marchador: análise de componentes principais. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 34, n. 2, p. 589-599, 2005. PINTO, L.F.B. et al. Evaluation of the sexual dimorphism in Mangalarga Marchador horses using discriminant analysis. Livestock Science, v.119, p.161-166, 2008. PROCÓPIO, A. M. Análise cinemática da locomoção de equinos marchadores. 2004. 69f. Tese (Doutorado em Veterinária)- Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais. PROCÓPIO, A.M.; BERGMANN, J.A.G.; MENZEL, H.J. Curvas ângulo-tempo das articulações dos equinos marchadores. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.59, p.41-48, 2007. RIBEIRO, D.B. O cavalo de raças, qualidade e defeitos. Rio de Janeiro: Editora Globo Rural, 1988. 290p. ROBILLIARD, J.J; PFAU, T.; WILSON, L.M. Gait characterization and classification in horses. The Journal of Experimental Biology, v. 210, p. 187-197, 2007. SAMPAIO, I.B.M. Estatística aplicada à experimentação animal. Belo Horizonte: FEOMVZ-Editora, 3 ed., 2010, 264p. SANTIAGO, J.M. Avaliação do treinamento de equinos de Concurso Completo de Equitação. 2010. 116p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 2010. SANTIAGO, J.M. Caracterização morfométrica da raça Mangalarga Marchador. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2013. 125p. Dissertação (Doutorado em Zootecnia) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2013. SANTOS, C.A.; PAZ, C.F.R.; PAGANELA, J.C.; et al. Influência da biomecânica angular das articulações escápulo-umeral, coxo-femural e tíbio-metatarsiana na prova de andamento dos cavalos da raça Crioula. Archives of Veterinary Science, v.16, p.37-43, 2011. SANTOS, S.A.S.; CARVALHO, R.T.L.C.; COUTO, H.T.Z.C.; MAZZA, M.C.M. Influência de alguns fatores ambientais sobre características de crescimento de cavalos brasileiro de hipismo até um ano de idade. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 27, p. 171-179, 1992. SCHLUP, E. Cinemática do salto de equinos de iniciação esportiva na Escola de Equitação do Exército. 2010. 55f. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, RJ. SILVA, C.E.L.A. Parâmetros morfológicos de equinos novos em estação e durante o salto na Escola de Equitação do Exército. 2009. 58 f. Monografia (Especialização em Instrutor de Equitação) – Escola de Equitação do Exército, Rio de Janeiro, RJ. SILVA, E.G.A. Avaliação morfométrica e do desempenho de cavalos de Concurso Completo de Equitação. 2006. 100f. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) - Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. SOUSA, A.; TAVARES, J.M.R.S. A marcha humana: uma abordagem biomecânica. 2010. Disponível em: <http://paginas.fe.up.pt/~tavares/>. Acesso em: 19 jul 2014. WEISHAUPT, M.A.; HOGG,H.P.; AUER, J.A.; WIESTNER, T. Velocity-dependent changes of time, force and spatialparameters in Warmblood horses walking and trotting on a treadmill. Equine Veterinary Journal (Suppl. 38) p. 530-537, 2010. ZAMBORLINI, L.C. Estudo genético quantitativo das medidas lineares da raça Mangalarga Marchador.Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais,1996. 47p. Tese (Doutorado em Ciência Animal) – Universidade Federal de Minas Gerais, 1996.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectKinematicseng
dc.subjectMeasurementseng
dc.subjectTransitionseng
dc.subjectCinemáticapor
dc.subjectMensuraçõespor
dc.subjectTransiçõespor
dc.subject.cnpqProdução Animalpor
dc.titleBiometria e locomoção de equinos da raça Brasileiro de Hipismopor
dc.title.alternativeBiometry and locomotion of horses of the Brazilian Horse Riding Raceeng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Mestrado em Zootecnia
Mestrado em Zootecnia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2016 - Bruna Caroline Franzan.pdfDocumento principal2.13 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.