???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/2551
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorAlmeida, Carlos Cristiano Oliveira de Faria-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7560379171515481por
dc.contributor.advisor1Sanchez, Sandra Barros-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5592332884126912por
dc.contributor.referee1Albino, Sirlei de Fátima-
dc.contributor.referee2Morandi Filho, Wilson José-
dc.date.accessioned2019-01-04T12:01:11Z-
dc.date.issued2012-09-14-
dc.identifier.citationAlmeida, Carlos Cristiano Oliveira de Faria. Percepções dos alunos do curso de agropecuária do Brasil sobre plantas medicinais.. 2012. [81 f.]. Dissertação( Programa de Pós-Graduação em Educação Agrícola) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, [Seropédica-RJ] .por
dc.identifier.urihttps://tede.ufrrj.br/jspui/handle/jspui/2551-
dc.description.resumoA presente dissertação teve por objetivo geral verificar a percepção dos estudantes dos Cursos Técnico de Agropecuária do Brasil acerca de plantas medicinais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que busca identificar a percepção dos Técnicos em Agropecuárias acerca das Plantas Medicinais. Com isso buscou-se identificar o Discurso do Sujeito Coletivo dos estudantes sobre Plantas Medicinais. Os sujeitos da pesquisa foram selecionados dos seguintes Institutos Federais de Educação Ciência e Tecnologia: Ceará – Campus Crato; Rio Grande do Sul Campus Sertão; Amazonas Campus São Gabriel da Cachoeira; Goiano Campus Urutaí e do Colégio Técnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro em Seropédica. Dessa maneira foram apresentados os discursos dos seguintes questionamentos: 1) Você conhece alguma planta medicinal de sua região? Qual? Para que ela serve?; 2) Descreva o que você aprendeu sobre plantas medicinais no seu curso de Técnico em Agropecuária. Você acha que o que você aprendeu foi útil para sua vida profissional? Acha que precisaria mudar alguma coisa na maneira como esse tema foi abordado? e 3) Como e em que situação você utilizaria plantas medicinais na atividade de Técnico em Agropecuária? É possível perceber que o Técnico em Agropecuária, na cadeia produtiva das Plantas Medicinais/Fitoterápicos, se destaca como o principal ele responsável na garantia da qualidade da matéria prima, fornecendo plantas seguindo os padrões necessário para produzir o medicamento, e não se enquadra no rol de profissionais capacitados tecnicamente para prescrever o uso dessas drogas, seja em animais ou em humanos.Todas as argumentações apontam para uma reflexão acerca da ampliação e/ou introdução da discussão sobre Plantas Medicinais nos cursos técnicos de Agropecuária, pois essa área apresenta-se como uma alternativa viável de mercado de trabalho em ascensão e a garantia de uma soberania brasileira na produção de medicamentospor
dc.description.abstractThis work aimed to verify the overall perception of students of Technical Agricultural courses in Brazil about medicinal plants. This is a qualitative research that seeks to identify the perception of Agricultural Technicians on Medicinal Plant. Therefore we sought to identify the Collective Subject Discourse of students on Medicinal Plants. The study subjects were selected from the following Federal Institutes of Education, Science and Technology: Ceará - Campus Crato, Rio Grande Campus Hinterland; Amazonas Campus São Gabriel da Cachoeira, Goiano Urutaí Campus and Technical College of the Federal Rural University of Rio de Janeiro in Seropédica. Thus the speeches were presented the following questions: 1) Do you know a medicinal plant in your area? What? For it serves?, 2) Describe what you learned about medicinal plants in their course of Farming Technician. Do you think you learned was useful for your professional life? Think you need to change something in the way this issue was addressed? and 3) How and in what situation would you use medicinal plants in the activity of Farming Technician? You can see the Farming Technician, in the production chain of Medicinal Plants / Herbal, stands out as the principal has responsibility in ensuring the quality of raw materials, supplying plants according to the standards required to produce the drug, and does not fit in the roll technically trained professionals to prescribe these drugs, either in animals or humanos.Todas the arguments point to a reflection on the expansion and / or introduction of Medicinal Plants in the discussion of technical courses in Agriculture, as this area presents itself as a viable alternative to rising labor market and ensuring a Brazilian sovereignty in the production of medicineseng
dc.description.provenanceSubmitted by Celso Magalhaes (celsomagalhaes@ufrrj.br) on 2019-01-04T12:01:11Z No. of bitstreams: 1 2012 - Carlos Cristiano Oliveira de Faria Almeida.pdf: 2016629 bytes, checksum: 3753feef475082a89c69d0ff5efc057e (MD5)eng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2019-01-04T12:01:11Z (GMT). No. of bitstreams: 1 2012 - Carlos Cristiano Oliveira de Faria Almeida.pdf: 2016629 bytes, checksum: 3753feef475082a89c69d0ff5efc057e (MD5) Previous issue date: 2012-09-14eng
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttps://tede.ufrrj.br/retrieve/9125/2012%20-%20Carlos%20Cristiano%20Oliveira%20de%20Faria%20Almeida.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal Rural do Rio de Janeiropor
dc.publisher.departmentInstituto de Agronomiapor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsUFRRJpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação Agrícolapor
dc.relation.referencesALVES Elaine Moreira, CRUZ Monalise Pinto da e MESSEDER, Jorge Cardoso. Os saberes populares na utilização do boldo (Plectranthus barbatus Andrews-Lamiaceae) como fitoterápico nos distúrbios gástricos e hepáticos. Ciência em Tela. Volume 2. Número 1. 2009 BACH, Dionizio Bernardino e LOPES, Marcos Aurélio. ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DO CULTIVO DA BABOSA (Aloe vera L.). Ciênc. agrotec., Lavras, v. 31, n. 4, p. 1136-1144, jul./ago., 2007 BRASIL. Constituição (1998). Constituição da República Federativa do Brasil, DF: Senado, 1988. BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Boas Práticas Agrícolas (BPA) de plantas medicinais, aromáticas e condimentares/Ed. preliminar Marianne Christina Scheffer, Cirino Corrêa Júnior; Coordenação, Maria Consolacion Udry, Nivaldo Estrela Marques e Rosa Maria Peres Kornijezuk. – Brasília: MAPA/SDC, 2006a BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. On Line. Disponível em: http://catalogonct.mec.gov.br/. Brasília, 2009b. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. RESOLUÇÃO - RDC N.º 17, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2000. Disponível em http://sna.saude.gov.br/legisla/legisla/vigil_s/REP_RES_RD_ANVSC17 _00vigil_s.doc. Acesso em 15 de Janeiro de 2010. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. RESOLUÇÃO - RDC N.º 10, DE 09 DE MARÇO DE 2010. Publicado no Diário Oficial da União, nº 46 de 10 de março de 2010. Brasília, 2010. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Normas de pesquisa envolvendo seres humanos. Res. CNS 196/96. Bioética 1996; 4 Suppl:15-25 BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE. DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília : Ministério da Saúde, 2006c. 92 p. - (Série B. Textos Básicos de Saúde) BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS. DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos/Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2006b. 60 p. – (Série B. Textos Básicos de Saúde) BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS. DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA E INSUMOS ESTRATÉGICOS. Programa Nacional de Plantas Medicinais e 76 Fitoterápicos/Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009a. 136 p. : il. – (Série C. Projetos, Programas e Relatórios) BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros curriculares nacionais : introdução aos parâmetros curriculares nacionais/Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1997. 126p. CAMPOS, José de Oliveira. Análise comparativa dos Modelos Curriculares de Educação Profissional Agrícola: Sistema Escola-Fazenda e Formação por competência. Seropédica: UFRRJ, 2005. 76. (Dissertação, Mestrado em Educação Agrícola). CARVALHO, ACB; NUNES, DSG; BARATELLI, TG; MAHMUD, NS; SHUQAIR, SAQ; NETTO, EM. Aspectos da legislação no controle dos medicamentos fitoterápicos. T&C Amazônia, Ano V, Número 11, Junho de 2007. CORREA JUNIOR, C. et al. O cultivo da camomila [Chamomilla recutita (L.) Rauschert]. Curitiba: EMATER, 2008.44p. DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. Ed. Atlas S.A. São Paulo, 2000. DONATAO, Hernâni. Dicionário das Batalhas Brasileiras. 2º Edição IBRASA, São Paulo, 1996. FOGLIO, Mary Ann, QUEIROGA, Carmen Lucia, SOUSA, Ilza Maria de Oliveira e RODRIGUES, Rodney Alexandre Ferreira. Plantas Medicinais como Fonte de Recursos Terapêuticos: Um Modelo Multidisciplinar. MultiCiência: Construindo a História dos Produtos naturais. Nº 7. Outubro de 2006. GUERRA, MP; NODARI, RO. Biodiversidade: aspectos biológicos, geográficos, legais e éticos. In: SIMÕES, CMO; SCHENKEL, EP; GOSMANN, G; MELLO, JCP; MENTZ, LA; PETROVICK, PR (org.). Farmacognosia: da planta ao medicamento. 3.ed. Porto Alegre/Florianópolis: Editora da Universidade UFRGS/Editora da UFSC, Cap.1, p. 13 – 26, 2001. IPEA Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Retrato das desigualdades de gênero e raça. 4ª ed. - Brasília, 2011. 39 p. LEVEFRE, F. e LEVEFRE, A.M.C. Depoimentos e Discursos uma proposta de análise em pesquisa social. Série Psquisa v. 12. Liber Livros Editora. Brasília, 2005. LORENZI, H. ; MATOS, F. J. A. . Plantas medicinais no Brasil nativas e exóticas. 1. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora LTDA, 2002. v. 1. 512 p MATOS, F. J. A. . Farmácias Vivas: sistema de utilização de plantas medicinais projetado para pequenas comunidades.. 4. ed. Fortaleza: Editora UFC, 2002. v. 1. 267 p. MATOS, F. J. A. Aroeira-do-Sertão (Myracrodruon urundeuva Fr. All.) Estudo farmacognóstico, químico e farmacológico. . 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 1995. v. 1. 160 p. MATOS, F. J. A. As Plantas das Farmácias Vivas; álbum de gravuras para identificação das principais plantas medicinais do projeto farmácias vivas.. 1. ed. Fortaleza: BNB, 1997. v. 1. 57 p. 77 MATOS, F. J. A. Introdução à Fitoquímica Experimental. . 2. ed. Fortaleza: Edições UFC, 1997. v. 1. 141 p MATOS, F. J. A. O formulário fitoterápico do professor Dias da Rocha: informações sobre o emprego na medicina caseira, de plantas do Nordeste, especialmente do Ceará. 2. ed. Fortaleza: Edições UFC, 1997. v. 1. 260 p MATOS, F. J. A. Plantas de medicina popular do Nordeste: propriedades atribuídas e confirmadas. 1. ed. Fortaleza: Edições UFC, 1999. v. 1. 80 p. MATOS, F. J. A. Plantas medicinais: guia de seleção e emprego de plantas usadas em fitoterapia no Nordeste do Brasil. 3. ed. Fortaleza: UFC, 2007. v. 1. 394 p. NASCIMENTO, V.T., LACERDA, E.U., MELO, J.G., LIMA, C.S.A., AMORIM, E.L.C., ALBUQUERQUE, U.P. Controle de qualidade de produtos à base de plantas medicinais comercializados na cidade do Recife-PE: erva-doce (Pimpinella anisum L.), quebra-pedra (Phyllanthus spp.), espinheira santa (Maytenus ilicifolia Mart.) e camomila (Matricaria recutita L.). Rev.Bras.Pl.Med., Botucatu, v.7, n.3, p.56-64, 2005. PAULA, Alessandra Edna de. O papel pedagógico das cooperativas-escola: Um estudo comparativo da prática educativa do Campus Paraíso do Tocantins, do Instituto Federal do Tocantins, e do Campus Urutaí, do Instituo Federal Goiano. 2010. 103 f Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola), Instituto de Agronomia. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ. 2010. REIS, Mauricio Cortez e RAMOS, Lauro. Escolaridade dos Pais, Desempenho no Mercado de Trabalho e Desigualdade de Rendimentos RBE Rio de Janeiro v. 65 n. 2 / p. 177–205 Abr-Jun 2011 REIS, Paula Elaine Diniz dos, CARVALHO, Emilia Campos de, BUENO, Paula Carolina Pires e BASTOS, Jairo Kenupp. Aplicação clínica da Chamomilla recutita em flebites: estudo de curva dose-resposta. Rev. Latino-Am. Enfermagem jan-fev 2011;19(1):[08 telas] Revista Fapemat Ciência. Plantas no controle. Disponível em www.revistafapematciencia.org/noticias/noticia.asp?id=329. Acessado em 20 de dezembro de 2011. ROLLWAGEN, D.G.; CARVALHO, R.I.N. Qualidade fisiológica de sementes de camomila [Chamomilla recutita (L.) Rauschert] após envelhecimento acelerado e estresse salino. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v.13, n.2, p.139-145, 2011. SANTOS, G. A. e SANCHEZ, S. B. Guia do Mestrando. UFRRJ. Seropédica-RJ, 2010. SEAPA – SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Produtor rural do DF recebe apoio para ganhar competitividade. Disponível em http://www.sa.df.gov.br/003/00301009.asp?ttCD_ CHAVE =81073. Acesso em 15 de Janeiro de 2010. SILVA, Josiani Mendes. Organização do trabalho pedagógico dos professores do ifam - Campus são Gabriel da cachoeira: um estudo das concepções pedagógicas que fundamentam sua prática docente. Seropédica, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, RJ. 2010. 136 p. (Dissertação, Mestrado em Educação Agrícola). 78 SIMÕES, CMO; SCHENKEL, EP. A pesquisa e a produção brasileira de medicamentos a partir de plantas medicinais: a necessária interação da indústria com a academia. Rev Brás de Farmacognosia, v. 12, n. 01, p. 35 – 40, 2002. SOARES, Thelma Shirlen, MOTA, Jose Hortencio e VIEIRA, Maria do Carmo. Valor econômico da produção comercial de espécies de plantas medicinais em Dourados-MS. 47º Congresso Brasileiro de Olericultura. IV Simpósio Brasileiro sobre cucurbitáceas. Porto Seguro – BA, Agosto de 2007. SOUSA, M. P. ; MATOS, F. J. A. ; MATOS, M. E. O. ; MACHADO, M. I. L. ; CRAVEIRO, A. A. . Constituintes químicos ativos e propriedades biológicas de plantas medicinais brasileiras. 2. ed. Fortaleza: UFC, 2004. v. 1. 448 p. TOLEDO, ACO; HIRATA, LL; BUFFON, MCM; MIGUEL, MD; MIGUEL, OG. Fitoterápicos: uma abordagem farmacotécnica. Revista Lecta, Bragança Paulista, v. 21, n. 1/2, p. 7-13, jan./dez. 2003 YUNES, RA; PEDROSA, RC; FILHO, VC. Fármacos e fitoterápicos: a necessidade do desenvolvimento da indústria de fitoterápicos e fitofármacos no brasil. Quim. Nova, Vol. 24, No. 1, 147-152, 2001.por
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectPlantas Medicinaispor
dc.subjectEducação Profissionalpor
dc.subjectEnsino Agrícolapor
dc.subjectDiscurso do Sujeito Coletivopor
dc.subjectRepresentações Sociaispor
dc.subjectMedicinal Plantseng
dc.subjectProfessional Educationeng
dc.subjectAgricultural Educationeng
dc.subjectCollective Subject Discourseeng
dc.subjectSocial Representationseng
dc.subject.cnpqCiências Humanaspor
dc.titlePercepções dos alunos do curso de agropecuária do Brasil sobre plantas medicinais.por
dc.title.alternativePerceptions of students of agriculture in Brazil on medicinal plantseng
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:MESTRADO EM EDUCAÇÃO AGRÍCOLA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2012 - Carlos Cristiano Oliveira de Faria Almeida.pdfCarlos Cristiano Oliveira de Faria Almeida1.97 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.